Saúde

Arquivo para junho, 2014

Psicoterapia é para loucos?


O tSem títulorabalho de um psicólogo é baseado no estudo dos processos mentais, dos comportamentos e das emoções.

Assim como o corpo adoece, a mente também pode adoecer.

Se alguém sofre de uma doença do coração, procura um cardiologista. Logo, existe uma imagem de que para precisar de um psicólogo, é preciso apresentar um intenso distúrbio mental. Engana-se quem pensa que a psicoterapia só pode auxiliar quem apresenta distúrbios mentais intensos; não apenas engana-se, como perde também o “filé-mignon” da psicoterapia, que é tornar a vida e as relações consigo e com os outros mais saudáveis.

A saúde ocidental evoluiu muito ultimamente, os novos estudos científicos buscam sempre ampliar a expectativa de vida e a qualidade de vida também.

Cuidar da mente traz um enorme benefício para a saúde como um todo!

Exemplos de pensamentos que podem prejudicar a qualidade de vida:

– “Eu gosto muito de corresponder às expectativas dos outros, só fico tranquilo quando recebo um reconhecimento de que estou fazendo bem minhas atividades”.

– “Os outros me decepcionam muito, não se pode confiar em mais ninguém nesta vida”.

– “Eu sou muito brava, mas as pessoas me irritam muito. Elas não sabem fazer as coisas direito”.

– “Tenho muito medo de ficar sozinha”.

São pequenos exemplos de pensamentos que podem comprometer a saúde como um todo: física, emocional e comportamentalmente.

A pessoa que é extremamente brava e facilmente irritável apresenta, com frequência, tensão e rigidez muscular, por exemplo. Todos estes exemplos demonstram que existe um relacionamento interpessoal truncado e desigual, que não é fluído. Desigual, porque no primeiro caso, é o outro quem julga se foi bom o que eu fiz ou não e, ele quem determina se sou merecedor ou não de atenção e reconhecimento de sua parte. No segundo caso, a relação é desigual também, pois eu tenho que assumir que crio expectativas para que o outro cumpra, se ele não faz o que eu esperava, eu me decepciono.

O processo de terapia nada mais é que ter um profissional dedicado para te conhecer, conhecer a forma que você pensa, a forma que você reage às situações, entender seus relacionamentos e o que compõe a sua vida. E o segundo passo é verificar, juntamente com você, como é possível ter mais saúde, ter mais qualidade de vida.

É de extrema importância que você tenha empatia e confiança no profissional que você escolher para te acompanhar. Por isto, não precisa ter reservas em marcar apenas uma consulta com alguns profissionais até você sentir que encontrou a pessoa certa, que irá te compreender.

Marcela Jacob

Pilates para Crianças


Pilates para crianças

Com o avanço tecnológico, as crianças estão cada vez mais sedentárias. Se antigamente seus passatempos preferidos eram subir em árvores e brincar de pega-pega e esconde- esconde, hoje são o computador e o videogame.

Assim, problemas como dores e alterações posturais não são mais exclusivos dos adultos; e por isto é que a procura por um esporte na infância tem aumentado bastante, como alternativa para driblar estes novos problemas do universo infantil.

A prática esportiva para as crianças é essencial para um crescimento saudável, porém as respostas do organismo são diferentes nesta fase da vida, e é preciso que a intensidade e frequência do exercício sejam bem controladas por um profissional da área, já que diferem muito do adulto.

O Pilates é uma ótima alternativa para crianças, e tem diversos benefícios para os pequenos:

Consciência corporal: aumento da percepção do próprio corpo, melhora da noção espacial, conhecimento de seus limites e do limite dos outros a sua volta. Ideal também para crianças/ adolescentes em fase de crescimento, para um melhor reconhecimento das mudanças na estrutura corporal.

Postura: o Pilates trabalha a postura de diversas formas, trazendo um melhor posicionamento da criança frente ao computador, videogame ou horas sentado na escola, durante o andar e para carregar pesos, como a mochila. Diminui também o risco de alterações posturais que poderiam se estender para o futuro: muitos casos de escoliose idiopática começam na adolescência e podem ser evitados com o Pilates. Prevenção é o melhor remédio!

Respiração: o Pilates trabalha a respiração de forma profunda e sincronizada, melhorando a qualidade da mesma no dia-a-dia, durante os esforços e até durante o sono, devido ao aumento da capacidade pulmonar e de troca gasosa promovida.

Concentração: a concentração necessária para a execução dos exercícios pode melhorar o desempenho escolar da criança. Em casos de déficit de atenção e hiperatividade, o Pilates pode ser uma ótima ferramenta.

Coordenação: os exercícios podem ser trabalhados de forma a aumentar a coordenação motora da criança, contribuindo com seu desenvolvimento motor.

Equilíbrio: o Pilates desenvolve esta habilidade motora, melhorando o equilíbrio e as respostas musculares frente aos desequilíbrios gerados no dia-a-dia.

Combate à obesidade e ao sedentarismo: ao iniciar cedo uma atividade que gosta, de forma lúdica e recreativa, a criança desenvolve desde pequena o gosto pelo exercício físico e esportes, e tem uma motivação a mais para aderir aos hábitos alimentares saudáveis, diminuindo risco de obesidade e sedentarismo.

Sociabilização: o Pilates para crianças pode ser realizado de forma individual, porém as duplas ou grupos são mais indicados, pois promovem uma maior interação social, além

de trabalhar questões como senso de equipe, solidariedade e respeito pelos limites e conquistas do outro.

É importante ressaltar que competitividade e treinos em excesso não devem fazer parte do mundo infantil. Se você quer garantir que seu filho faça uma atividade boa e produtiva, e adequada a sua faixa etária, procure um profissional da área!

Dra. Denise Pripas