Saúde

Arquivo para fevereiro, 2016

O Outono na visão da Medicina Tradicional Chinesa


No outono as folhas secam e caem, os últimos frutos são colhidos – a energia vital é descendente, pesada – o ciclo que mostra crescimento na primavera e exuberância no verão revela agora a maturidade e se encaminha para o fim. A energia do outono é a força da despedida: luto e tristeza repousam sobre o verão que passou e chega a preparação para o grande silêncio do inverno.
É a estação do elemento Metal, que em nós representa a eterna colheita e está relacionado aos Pulmões e Intestino Grosso, que têm como função assimilar o essencial e eliminar o inútil. Os dias de Outono inspiram a disciplina de discernimento para que façamos a seleção do que fica e do que sai de nossas vidas, mesmo se o que tivermos que deixar sair sejam  coisas a que somos apegados.
outono3O que comer no outono – o sabor picante já está no ar, então devemos começar a refeição com um pouco de sabor ácido para proteger Madeira e seguir com alimentos mais cozidos, de natureza morna. Devagar devemos começar a aumentar o consumo de produtos animais, para tonificar os órgãos Yin e se aquecer profundamente. Também devemos prestar atenção para os alimentos que produzem fluidos – o outono é seco e se não houver umidade os pulmões e intestinos sofrem. Não são recomendados alimentos defumados, e as frutas, devem ser consumidas as secas, especialmente o damasco que é ácido e de natureza morna.
Outra sugestão: maçãs ao forno, recheadas com mel e tahine, fazem muito bem no outono.
Observe seu corpo à medida que a temperatura externa vai diminuindo e quando estiver sentindo frio, principalmente nas extremidades, coloque uns pauzinhos de canela em mingaus, no chá, nas frutas cozidas – e evite comidas cruas. Coma pão de centeio, que é do elemento Fogo e tem sabor amargo. Use queijos amarelos.
Paula Pereira da Silva
Nutricionista, Acupunturista
Anúncios

Tendências Ano Chinês – Macaco de Fogo


anochines

De acordo com o conhecimento chinês, a cada ano existe um movimento característico do mundo em direção à evolução. Assim como na natureza existem as estações do ano, que influenciam diretamente o crescimento dos vegetais, e as fases da lua que influenciam as ondas do mar, você também faz parte deste todo e é influenciado. Existe uma ordem de crescimento e adaptação da natureza – a planta nasce, cresce, amadurece e morre, e existem os desequilíbrios entre uma fase e outra que podem quebrar esta ordem. Na vida humana, estes mecanismos também acontecem!

Em 2014, foi o ano do Cavalo de Madeira, que teve por característica passar aos galopes. Em 2015, foi um ano mais tranquilo, regido pela Cabra de Madeira, com característica de ser focado, mas também de “dar algumas cabeçadas” como o animal. Agora, a partir do dia 8 de fevereiro, o ano será do Macaco de Elemento Fogo. E em 2017, Galo de Fogo.

ano do macaco

Com isso, imagine um macaco fogoso!

Os macacos são animais que vivem em árvores, poucos preferem o solo. A maioria vive em bandos e são chefiados por um macho que seja o mais forte. A função do chefe é caminhar o bando na busca por alimentos, manter a ordem interna e cuidar da defesa. São conhecidos por sua inteligência e extraordinária agilidade, são brincalhões, mas também arredios, em alguns momentos.

O Elemento Fogo, na Medicina Chinesa, corresponde ao elemento que tem o Coração como meridiano principal, conhecido como “a morada do shen”, ou seja, “a morada do espírito”. Quando este elemento está em equilíbrio em uma pessoa, ela refere clareza em seu objetivo de vida, suas atitudes trazem realização pessoal, paz de espírito e alegria. É um elemento que cuida da estação do Verão e do calor: imagine o calor e a alegria no mesmo elemento! Já em desequilíbrio, este elemento traz a frustação, decepção, desânimo, ou por outro lado, agitação, inquietação, indecisão e ansiedade.

44605a33676c81583c98e80267c5fb95Unindo estas simbologias, é válido ter atenção e utilizar estas características a seu favor. Pode ser um ano de subir em árvores, ver sua vida sob outra perspectiva, sonhar e ter esperança. Usar da agilidade e inteligência para “alimentar adequadamente” a si e a quem está ao seu lado, cuidando de sua alimentação física, mental e emocional. Um ano de muita leveza, agitação e brincadeira! Porém, mesmo o que é bom, se for vivido em excesso, pode ser desequilíbrio; como por exemplo, uma grande intensidade de eventos sociais pode dispersar a energia de trabalho e de recolhimento e introspecção. Sem o descanso adequado, pode-se sentir a irritabilidade e a famosa “mal criação” dos macacos.

Lembrando que quem decide o que você vai viver neste ano e em qualquer outro é você! Cuide sempre da qualidade dos seus pensamentos, pois eles te transformam! Atente-se a como você reage emocionalmente aos outros, pois as emoções são suas e não deles, é você quem se define!

Marcela Jacob

Psicóloga e Acupunturista

Clínica Vitalidade Integrada