Saúde

Arquivo para a categoria ‘Acupuntura’

Coaching – O caminho só existe quando você passa…


669d2397-5a18-4800-9739-bd2421c79d45.jpg

Um jovem, toda semana, vinha de muito longe participar de um curso de auto – conhecimento.  Um dia chegou até o professor e disse-lhe:

– Mestre:  tenho notado o comportamento de seus alunos.  Alguns deles tiveram a vida completamente transformada, outros mudaram em algumas coisas, mas existem muitos – e Eu estou entre eles – que nada mudaram.  Que explicação o senhor tem para isso? – perguntou o jovem.

O professor, depois de olhar serenamente para o rapaz, respondeu com humildade:

– Filho, você vem toda semana de longe ouvir-me falar, não é?

– Sim, mestre – respondeu o rapaz.

– Você conhece bem o caminho? – perguntou o mestre.

– Sim – respondeu o rapaz.

– Se alguém lhe perguntar como fazer para chegar até a cidade onde você mora, o que você faria?

– Olha mestre, Eu explicaria o caminho da melhor forma possível – respondeu o jovem.

– E você acredita que todos chegariam só com sua explicação ou seria preciso percorrer o caminho?

– É claro mestre, que só chegariam aqueles que percorressem o caminho – respondeu o rapaz.

Nesse momento o professor concluiu:

– Filho, assim são os meus ensinamentos.  Eu os ensino da melhor maneira possível.  Todos podem ouvi-los atentamente, mas só irão se transformar aqueles que realmente os colocarem em prática.

O caminho é ensinado a todos, mas só chegam aqueles que fazem o percurso.

O processo de  “coaching”  tem exatamente esta proposta – a de fazer com que a gente consiga fazer o percurso…caminhar de um ponto a outro. 

O primeiro passo no processo é  identificar “qual é o nosso desejo”  , “qual é o lugar onde queremos  chegar ” ? Uma vez definido este  lugar , começamos a explorar  os possíveis caminhos que nos levarão até ele…  Neste momento  nos deparamos com obstáculos, medos, incertezas e percebemos os  tantos  caminhos, alguns até bem conhecidos-  que de alguma forma já percorremos no passado, mas ao final nos desviaram daquele propósito tão desejado ou nos distanciaram ainda mais dele. …  Vamos explorando estas vivências, acolhendo, esclarecendo, nos conhecendo e assim nos apropriando mais das nossas escolhas e da  liderança de nossas vidas. Definindo ações,  praticando, caminhando … 

E assim é  a nossa vida.  Você só chega à transformação quando experiencia o que aprendeu. Errando , acertando … mas caminhando , pois o caminho só existe quando você passa por ele.

Denyse Abejon
L
ife Coaching & Desenvolvimento Humano

Fonte: livro –  Para Que Minha Vida Se Transforme / Maria Sallete e Wilma Ruggeri – editora 

Anúncios

Fadiga – Dicas da Dietoterapia Chinesa


 A fadiga é discutida pela Medicina Tradicional Chinesa (MTC) sob o título de “Exaustão” – Xu Lao – e descreve não apenas o sintoma, mas também a sua causa básica, uma deficiência do Qi do corpo. Mas a fadiga também pode ser causada por uma condição de excesso: um resfriado ou uma gripe constituem invasão do corpo por Vento-Frio ou Vento-Calor exteriores.
bad-site  As causas mais frequentes de fadiga são: fraqueza constitucional hereditária (por ex. a saúde e idade dos pais no momento da concepção e condições da gravidez); excesso de trabalho físico ou mental (longas horas de trabalho sem o repouso adequado ou sob condições estressantes e até mesmo excesso de exercício ou atividades esportivas); uma dieta alimentar inadequada e irregular enfraquece diretamente os meridianos do Estômago e Baço-Pâncreas e causa   a fadiga crônica, uma vez que estes meridianos são a origem do Qi e do sangue.
Segundo a Dietoterapia Chinesa, são alimentos do elemento Terra (BP/E): temperos como louro, manjericão, açafrão, hortelã, cravo, cardamomo, canela e alecrim; carboidratos complexos fornecidos por cereais integrais, feijões, tubérculos, raízes, frutas: cebola, abóbora, nabo, beterraba, maxixe, inhame e outros vegetais redondos; uma pequena quantidade de queijos, iogurte ou coalhada; painço; maçã, mamão, laranja-lima e outras frutas mais ou menos amarelas, sempre bem mastigadas ou chupadas, não em suco; refresco de limão e de maracujá; chás de camomila, erva-doce, artemísia, erva-cidreira; café de cevada torrada e moída. Para o tratamento da fadiga podemos aliar uma dieta equilibrada segundo a visão da Dietoterapia Chinesa às técnicas de Acupuntura, Moxabustão e de outras terapias orientais.

Paula Pereira da Silva
Nutricionista
Acupunturista Energética

“Os Gritos do corpo são as mensagens das emoções” (Michael Odoul)


  Durante um pouco mais de mês sofri com uma tosse que não sabia a causa, não era gripe, não era alérgica, aparecia somente ao deitar e ao comer alguns determinados alimentos (mas até então eu não havia me atentado a isso).
Depois de um mês tossindo, e de ter tomado 3 xaropes inteiros, resolvi ir a um otorrinolaringologista, amigo da família, que me examinou e disse que não tinha nada, nem em pulmão e nem em vias aéreas superiores. Foi aí que ele me perguntou se eu tinha algum “problema” de estômago, na hora lembrei que há menos de um ano fui diagnosticada com esofagite, e na época fiz o tratamento medicamentoso e alimentar, ele me disse que essa tosse era reflexo dessa esofagite (junto com refluxo) e que teria que voltar a tomar os remédios e fazer uma dieta alimentar rigorosa. No mesmo dia liguei para o gastro (que me acompanha) que me orientou da mesma maneira.
refluxo Um pouco antes de procurar um médico, duas profissionais (fisioterapeutas, uma acupunturista e outra osteopata) que trabalham comigo fizeram perguntas diretas sobre algumas emoções que eu estaria passando, que se relacionavam ao sistema digestivo. Na hora não entendi o porquê, pois nunca relacionei uma tosse a uma determinada enfermidade do sistema digestivo, mas aos poucos tudo foi fazendo sentido, afinal sempre acreditei que nossas emoções e pensamentos, influenciavam no nosso corpo físico, e mesmo elas não sabendo se algo estava se passando no meu emocional, tiveram a sensibilidade de ir direto ao ponto.
Voltei com tratamento medicamentoso e alimentar, porém não somente, parei para analisar meu momento de vida, e minha maneira de encarar algumas determinadas situações. Lendo um livro, muito bom (Diga-me onde dói e eu te direi por quê), li o seguinte parágrafo:    – Os Males do sistema digestivo vem nos falar da nossa dificuldade para engolir, para digerir, para assimilar o que acontece na nossa vida. “Eu não consegui engolir o que ele me disse”, ou então “Nunca consegui digerir muito bem o que você fez”.
Como são as coisas, ficamos muito presos aos sintomas físicos e nos esquecemos que somos um todo: Corpo, mente e espírito, e se algo não está em equilíbrio, todo o restante adoece. Há muitos anos atrás tive crises de gastrite, e hoje em dia vejo que somatizei, pois apenas tratei o corpo, e deixei de lado a mente e o espírito.
Termino com a seguinte citação, do mesmo livro:728px-Cure-Esophagitis-Step-1-Version-2  “Na medicina oriental, a doença é testemunha de um obstáculo para a realização do Caminho da Vida. Assim, a consciência exprime, por meio de problemas ligados à energia que geram doenças, os entraves ao seu desenvolvimento pleno. Parece, então, mais lógico compreender os mecanismos psicoenergéticos que estão por trás da doença afim de recobrar a saúde” (Dr.Thierry Médynski).

Marianna Paffetti

 

O Inverno na Perspectiva Chinesa


“Inverno está chegando…
Mãos e pés congelados?
Vontade de ficar um pouco mais na cama, debaixo do cobertor…
Dá mais preguiça, mais fome”…

Tudo isso é muito pertinente nesta estação do ano!

O que acontece com as árvores neste momento? As folhas e os frutos já se foram, os galhos permanecem. Se olharmos para algumas árvores, teremos a sensação de que estão mortas.
    
E os ursos? Hibernam!!!
Dia 15 de maio iniciou o Inverno, de acordo com os cálculos da Acupuntura (considerando as cinco estações do ano). Isso significa que há energia de inverno disponível externamente para nós acessarmos, ou seja, energia de recolhimento, de descanso e de repouso.
Se o mundo externo exigir muito agito, muitas atribuições, poderemos entrar em desequilíbrio mais facilmente.
Esta energia de repouso não é a toa! Existe uma função, a função do inverno!

Unindo todas estas imagens comentadas, é um período propício para introspecção, às vezes é tanto sono e recolhimento, que pode parecer “morte”, seja pelo desânimo, ou falta de eficácia, ou pela morte daquilo que é conhecido, que já foi vivido, é uma introspecção para desligarmos daquilo que foi vivido na primavera que passou, para nos abrirmos para a próxima. É um período de concentração de energia no sono e na fome, para usarmos a energia na reflexão das nossas verdadeiras vontades e desejos.
Na Acupuntura, sabemos que tudo tem a energia Yin e Yang, e como foi falado a cima que a árvore possivelmente está morta (yin), na verdade, se olharmos bem para ela, veremos também que dentro pulsa a vida (yang)! A vida que surgirá na próxima primavera. É este pulsar que ocorre dentro de nossos corações nesta etapa.

A questão que fica é: o que eu realmente quero para minha vida neste momento? Como usar este inverno para me aproximar de minhas genuínas aspirações? 

Nem sempre conseguimos estar com nossas vidas em sintonia com as estações do ano. Se você já está vivendo a primavera (novos projetos) em pleno inverno, apenas significa que você pode desgastar mais energia pessoal, e para isso, é importante assumir alguns cuidados adicionais.
Mas se não está claro para você qual estação do ano está vivenciando, experimente se conectar com este inverno de uma forma diferente, e acessar estas simbologias dentro de você!
“Eliminando” o que há de “velho” em você e se permitindo questionar qual vida quer brotar para a próxima primavera!?
   
Neste momento, inclusive a alimentação sofre transformação! Como é um momento de maior esgotamento de energia, então vale dar importância a alimentos nutritivos, evitando alimentos crus que podem resfriar ainda mais o corpo. Sugestões: chás, sopas, feijões, alho, gengibre, grãos integrais e vegetais de raízes.

Marcela Jacob

Dia do Acupunturista


informativo aleEste mês temos uma data comemorativa muito especial para nós, terapeutas da Clínica Vitalidade Integrada, e para nossos pacientes que já tiveram a oportunidade de serem atendidos pelas técnicas da Acupuntura. Dia 23 de março é dia de comemorar o dia do Acupunturista.

Os conhecimentos da Medicina Tradicional Chinesa vêm sendo utilizados há milhares de anos para promoção, prevenção e tratamento da saúde. No Brasil, sua prática é bem mais recente, se tornando mais popular somente a partir dos anos 50.

De um modo geral, no Brasil, é mais comum que se procure a acupuntura para tratamento de alguma doença, alguma condição que provoque dor. Porém, na clínica, é comum a procura da acupuntura por busca de maior consciência corporal, integração do corpo e da mente, busca de auto-conhecimento, como nos conta uma paciente, que iniciou os atendimentos no ambulatório do curso de acupuntura e hoje é atendida na Clínica: “O quanto a acupuntura me ajudou? É difícil explicar, acho que foi a integração corpo e mente, perceber o quanto o meu lado emocional e minhas questões físicas estão relacionadas, isso foi o que me chamou mais atenção. Consegui me sentir mais inteira, me reconheci como uma só, a acupuntura consegue me integrar”.

A Acupuntura também mudou a minha forma de ver a vida. Tive meu primeiro contato no Curso de Auriculoterapia da Clínica, há alguns anos. Logo me tornei paciente e fiz o curso de pós-graduação. Hoje também sou Acupunturista. Em cada uma dessas fases pude me aprofundar eu alguns conceitos e entendimentos diferentes do mundo externo e do mundo interno. Algo que mudou muito na minha vida foi o observar e respeitar: observar o que acontece no mundo ao meu redor para saber como direcionar melhor meus esforços, para buscar meus sonhos e respeitar quando não for o momento de agir, seja pelo tempo externo ou por uma necessidade do corpo de refletir mais, de se reestabelecer, de se manter em equilíbrio. É uma busca sem fim, mas é muito revigorante continua-la. Convido a todos a começar ou continuar essa caminhada de descobrimento. Conheça a Acupuntura.

Um feliz dia do Acupunturista para todos esses profissionais! E para nossos pacientes que se colocam com confiança em nossas mãos, nosso muito obrigado!

 

Alessandra Barbosa
Acupunturista e Fisioterapeuta

O Método Pilates como Aliado na Prática da Corrida de Rua


Ivana

     Nos últimos anos o bem estar e a qualidade de vida tem se tornado cada vez mais uma prioridade para muitas pessoas, e essa busca pela saúde torna comum a procura por modalidades esportivas. Uma das mais populares é a corrida de rua, considerada atualmente um dos esportes com grande número de atletas amadores. As provas são disputadas em circuitos de rua (avenidas, estradas, etc.) com distâncias oficiais variando de 5km a 100km.

    Sendo a corrida de rua um esporte que atinge todas as idades e relativamente sem custo financeiro. Um grande número de pessoas inicia a prática por conta própria, sem orientação. A empolgação inicial juntamente com a falta de preparo (o que é muito comum) leva a lesões, causando frustração e desapontamento ao praticante.

    O ideal é que ao decidir iniciar qualquer esporte, primeiramente seja realizada uma consulta ao médico, cardiologista e ortopedista se possível. Em relação aos treinos, é necessário e essencial o acompanhamento de um professor de educação física e/ou fisioterapeuta periodicamente. Além disso, é importante realizar alguma atividade que trabalhe as diversas habilidades necessárias na corrida.

    Uma ótima opção é o Pilates, método de condicionamento físico que abrange princípios bem específicos, os quais são aplicados em todos os exercícios, como a respiração, alinhamento postural, centralização (power house = casa de força), entre outros. O método desenvolve resistência muscular, flexibilidade, mobilidade e estabilidade articular, melhora a biomecânica na corrida, evitando sobrecarga articular, consequentemente prevenindo lesões e melhorando o desempenho nas pistas, garantindo assim a permanência na atividade.

Ivana de Freitas
Fisioterapeuta

O Outono na visão da Medicina Tradicional Chinesa


No outono as folhas secam e caem, os últimos frutos são colhidos – a energia vital é descendente, pesada – o ciclo que mostra crescimento na primavera e exuberância no verão revela agora a maturidade e se encaminha para o fim. A energia do outono é a força da despedida: luto e tristeza repousam sobre o verão que passou e chega a preparação para o grande silêncio do inverno.
É a estação do elemento Metal, que em nós representa a eterna colheita e está relacionado aos Pulmões e Intestino Grosso, que têm como função assimilar o essencial e eliminar o inútil. Os dias de Outono inspiram a disciplina de discernimento para que façamos a seleção do que fica e do que sai de nossas vidas, mesmo se o que tivermos que deixar sair sejam  coisas a que somos apegados.
outono3O que comer no outono – o sabor picante já está no ar, então devemos começar a refeição com um pouco de sabor ácido para proteger Madeira e seguir com alimentos mais cozidos, de natureza morna. Devagar devemos começar a aumentar o consumo de produtos animais, para tonificar os órgãos Yin e se aquecer profundamente. Também devemos prestar atenção para os alimentos que produzem fluidos – o outono é seco e se não houver umidade os pulmões e intestinos sofrem. Não são recomendados alimentos defumados, e as frutas, devem ser consumidas as secas, especialmente o damasco que é ácido e de natureza morna.
Outra sugestão: maçãs ao forno, recheadas com mel e tahine, fazem muito bem no outono.
Observe seu corpo à medida que a temperatura externa vai diminuindo e quando estiver sentindo frio, principalmente nas extremidades, coloque uns pauzinhos de canela em mingaus, no chá, nas frutas cozidas – e evite comidas cruas. Coma pão de centeio, que é do elemento Fogo e tem sabor amargo. Use queijos amarelos.
Paula Pereira da Silva
Nutricionista, Acupunturista