Saúde

Arquivo para a categoria ‘Dicas de Saúde’

Pai Atleta


 Pai Atleta imagem Ser pai, tem diversas funções no dia a dia e entre elas: amar, educar e proteger. Mas para isso é necessário dedicação.
E se você for um atleta? Você se vê nessa figura paterna? Você que ama atividade física, sempre praticou algum esporte e treina frequentemente para garantir sempre a boa performance e qualidade de vida. Sua rotina é bem estabelecida, trabalha muito, mas tem garantido os seus treinos esportivos na semana. Para um atleta, os treinos são momentos de muita dedicação, consome algumas horas do seu dia, alguns dias da semana ou até todos os dias. É o momento dedicado ao objetivo traçado como  competir com alguém, consigo mesmo ou por qualidade de vida. A atividade física promove benefícios nos aspectos metabólicos, neuromusculares e psicológicos. Melhora do trabalho cardiopulmonar, ajuda na diminuição da gordura corporal, aumento da força e massa muscular, da flexibilidade e densidade óssea. E, no aspecto psicológico, atua na melhoria da auto estima, na diminuição da ansiedade e estresse, das funções cognitivas e socialização, e até na diminuição do consumo de medicamentos.
Então como manter essa vida de atleta, saudável, com um bebê a caminho? Agora os dias serão mais alegres, afinal tem prazer maior em viver sabendo que um serzinho está chegando para você amar? Mas ai começam as mudanças de rotina, as demandas diárias são diferentes. A atenção agora é voltada a sua amada esposa e ao seu bebê. Dessa forma, quais serão suas prioridades de vida? Conseguirei treinar? Manterei meu ritmo de vida de atleta? Muita calma nessa hora, não se desespere. A atividade física faz bem para o corpo e para a alma. Entendemos que os dias são corridos, as pessoas trabalham muito e relaxam pouco. Mas todos deveriam reservar algumas horas do dia fazendo algo pelo corpo e mente, e nada melhor do que atividade física. Mas como conciliar agora com seu trabalho e sua família? No decorrer da vida precisamos de mudanças para nossa melhoria pessoal e busca de uma constante evolução.
O filho pode ser um espelho do pai, o esporte influencia muito na educação e crescimento dos filhos. Então, antes de você decidir que agora não há mais tempo para isso, organize sua rotina, coloque no papel, reflita quais as prioridades de sua vida e o que isso trará de benefícios para você e sua família. Para seguir no esporte, atletas devem superar as mais variadas dificuldades, e para isso a família tem papel fundamental também.
Ser pai, tem inúmeras funções no dia a dia sim, mas para isso é preciso ter saúde, energia e ser exemplo.
Por isso busquei entender melhor como é a vida de um pai que sempre foi praticante de atividade física, o Roberto, que antes de ser pai, praticava diariamente Kung Fu, musculação e Muay Thai e que nos disse como era sua vida antes e como ficou após o nascimento de sua filha.
  • Você treinava com qual frequência?
R- Eram 12 treinos semanais, alternando as modalidades, com uma média de 3h30 diárias divididas em 2 períodos.
  • Quando descobriu que ia ser pai, quais as sensações que teve? 
R- A primeira sensação foi uma necessidade de correr menos riscos, se machucar menos, para estar mais presente para ela e para minha filha. Além disso, a vontade de competir, vencer, diminuiu, perdeu força, pois outros interesses, outras buscas começaram a surgir. A busca pela saúde tornou-se mais importante do que a busca pela vitória.
  • Quando sua filha nasceu o que mudou em sua rotina? Até hoje.
R- A principal mudança foi que agora a minha rotina não tem apenas meus objetivos. E minha filha é mais importante do que todos eles. Então montamos a rotina dela e trabalhamos em volta dela. Como as prioridades mudaram, a rotina mudou com ela. No início era um pouco frustrante, pois para quem treinava tanto, perder às vezes semanas de treino era desesperador. Mas colocando as coisas em perspectiva, em determinados momentos, o tempo passado com minha filha e minha esposa valem mais do que o tempo na academia ou treinando. Essas escolhas não são sacrifícios, são na verdade bênçãos de poder escolher passar tempo com elas.
  • Você acha importante praticar esporte, mesmo com a correria do dia a dia? ( trabalho, casa, família, estudos)
R- Claro que sim. A correria existe, e quando estamos inseridos nela, tendemos perder um pouco a noção do que é importante a longo prazo. Não é necessário ser um atleta, mas o trabalho passa, a vida passa, e no futuro pagamos um preço pelas escolhas que fazemos. O radicalismo, o excesso, o estresse, cobram uma taxa. Tudo depende do caminho que seguimos. Eu aprendi com a vida profissional que enquanto não colocarmos limites, o mundo nos carregará cada vez mais. Ninguém vai dizer “coitado dele, vamos mandá-lo fazer um esporte para relaxar”. Essa busca é individual e pessoal, e ninguém vai fazê-la por mim.
  • Dá para ser um pai atleta?

R- Dá sim. Mas no caso de um atleta competitivo esse caminho cobra um preço. Para segui-lo é preciso saber do que vai abrir e escolher fazê-lo, pois a vida de um atleta de alto rendimento pode ser bem solitária. Agora, ser uma pessoa que pratica esportes, tem uma dieta saudável e uma saúde em dia é bem possível, e pode ser muito prazeroso quando envolvemos os filhos na nossa rotina.

Carla Correia

Fisioterapeuta

Diafragma: um músculo injustamente esquecido


A respiração é essencial para vida, pois faz parte das necessidades fisiológicas do ser humano. O oxigênio que respiramos é indispensável para liberar a energia proveniente dos alimentos, e assim conseguimos suprir nossas necessidades fisiológicas.

Para que aconteça o processo da respiração, é necessária a ação do diafragma, um músculo localizado logo abaixo dos pulmões. Quando contraído, o diafragma aumenta a cavidade torácica e, com isso, diminui a pressão ao redor dos pulmões. Com a pressão do entorno diminuída, os pulmões conseguem se expandir, e a sua pressão interna fica menor (mais negativa), fazendo com que o ar entre devido à diferença entre a pressão externa – meio ambiente – e interna. Este processo é chamado de inspiração. Quando o diafragma relaxa, a cavidade torácica diminui, aumentando a pressão em volta dos pulmões, o que faz com que o ar seja empurrado novamente para fora.

43220035-Human-Diaphragm-Anatomy-Stock-PhotoAlém disso, o diafragma participa de maneira importante em outros processos fisiológicos, como, por exemplo, a digestão dos alimentos. Isso ocorre por causa da pressão que ele causa no abdômen ao contrair-se, que auxilia a movimentação da comida pelo sistema digestório. Os movimentos do diafragma também são importantes para tosse, espirro, parto e defecação.

Outra ação importante do diafragma é sobre os sistemas circulatórios de baixa pressão, ou seja, sistemas venoso e linfático. Estes sistemas são responsáveis pelo transporte dos produtos metabólicos de excreção e, por possuírem paredes muito finas e não contarem com a força da ação de bombeamento do coração – diferente das artérias, dependem do sistema musculoesquelético para exercer sua ação propulsora. Sabemos que os músculos das extremidades contribuem muito para essa atividade, porém a principal bomba dos sistemas de baixa pressão é o diafragma, que, por estar ligado de maneira extensa ao sistema musculoesquelético, é capaz de modular a pressão interna do tórax, fornecendo uma ação de sucção sobre o retorno venoso e linfático.

Justamente por esta extensa ligação entre o diafragma e o sistema musculoesquelético, principalmente no que diz respeito a costelas, esterno e coluna, qualquer problema ligado a este músculo pode acarretar sérios problemas posturais e vice-versa. Desta forma, vemos que o diafragma é importante também para uma postura adequada.

Por essas e outras razões, o diafragma não deve ser esquecido, e sim tratado como qualquer outro músculo do organismo. Deve ser cuidado e até treinado por meio de exercícios respiratórios e posturais como, por exemplo, o Pilates, no qual a respiração é tratada como fundamental, não só para uma boa postura, mas também para uma boa qualidade de vida.

Fernando Pripas

Fisioterapeuta

Esporte na Infância


Cada vez mais cedo, as crianças estão sendo bombardeadas de atividades extra-escolares para fazer: inglês, informática, dança, teatro e é claro, os mais variados esportes!

A prática de atividade física deve sim ser incentivada desde cedo, principalmente nos tempos de hoje, onde o videogame e a internet estão tornando todos mais sedentários…

Porém a prática esportiva para crianças deve ser muito controlada, pois o organismo de uma criança não tem a mesma resposta à atividade física que o de um adulto. Sendo assim, a frequência e intensidade de cada um deles deve ser prescrita por um profissional da área. Além disso, a somação de muitos esportes e/ou a técnica incorreta durante os treinos podem gerar lesões por sobrecarga desde cedo.

Alguns esportes também não devem ser iniciados por crianças muito novas, que ainda não tem capacidade física e até psicológica para realizá-los de forma saudável.

Crianças devem sim brincar, correr, pular, nadar… estimula a criatividade, coordenação motora, memória, e até já foi comprovado que melhora as notas na escola! Mas a pressão psicológica e os treinos em excesso não devem fazer parte do universo infantil!

Se você quer que seu filho pratique algum esporte, procure um profissional da área, que sabe qual o melhor exercício para a faixa etária em que ele se encontra!

Denise Pripas

Professora de Pilates Postura Funcional

Coaching – O caminho só existe quando você passa…


669d2397-5a18-4800-9739-bd2421c79d45.jpg

Um jovem, toda semana, vinha de muito longe participar de um curso de auto – conhecimento.  Um dia chegou até o professor e disse-lhe:

– Mestre:  tenho notado o comportamento de seus alunos.  Alguns deles tiveram a vida completamente transformada, outros mudaram em algumas coisas, mas existem muitos – e Eu estou entre eles – que nada mudaram.  Que explicação o senhor tem para isso? – perguntou o jovem.

O professor, depois de olhar serenamente para o rapaz, respondeu com humildade:

– Filho, você vem toda semana de longe ouvir-me falar, não é?

– Sim, mestre – respondeu o rapaz.

– Você conhece bem o caminho? – perguntou o mestre.

– Sim – respondeu o rapaz.

– Se alguém lhe perguntar como fazer para chegar até a cidade onde você mora, o que você faria?

– Olha mestre, Eu explicaria o caminho da melhor forma possível – respondeu o jovem.

– E você acredita que todos chegariam só com sua explicação ou seria preciso percorrer o caminho?

– É claro mestre, que só chegariam aqueles que percorressem o caminho – respondeu o rapaz.

Nesse momento o professor concluiu:

– Filho, assim são os meus ensinamentos.  Eu os ensino da melhor maneira possível.  Todos podem ouvi-los atentamente, mas só irão se transformar aqueles que realmente os colocarem em prática.

O caminho é ensinado a todos, mas só chegam aqueles que fazem o percurso.

O processo de  “coaching”  tem exatamente esta proposta – a de fazer com que a gente consiga fazer o percurso…caminhar de um ponto a outro. 

O primeiro passo no processo é  identificar “qual é o nosso desejo”  , “qual é o lugar onde queremos  chegar ” ? Uma vez definido este  lugar , começamos a explorar  os possíveis caminhos que nos levarão até ele…  Neste momento  nos deparamos com obstáculos, medos, incertezas e percebemos os  tantos  caminhos, alguns até bem conhecidos-  que de alguma forma já percorremos no passado, mas ao final nos desviaram daquele propósito tão desejado ou nos distanciaram ainda mais dele. …  Vamos explorando estas vivências, acolhendo, esclarecendo, nos conhecendo e assim nos apropriando mais das nossas escolhas e da  liderança de nossas vidas. Definindo ações,  praticando, caminhando … 

E assim é  a nossa vida.  Você só chega à transformação quando experiencia o que aprendeu. Errando , acertando … mas caminhando , pois o caminho só existe quando você passa por ele.

Denyse Abejon
L
ife Coaching & Desenvolvimento Humano

Fonte: livro –  Para Que Minha Vida Se Transforme / Maria Sallete e Wilma Ruggeri – editora 

Fadiga – Dicas da Dietoterapia Chinesa


 A fadiga é discutida pela Medicina Tradicional Chinesa (MTC) sob o título de “Exaustão” – Xu Lao – e descreve não apenas o sintoma, mas também a sua causa básica, uma deficiência do Qi do corpo. Mas a fadiga também pode ser causada por uma condição de excesso: um resfriado ou uma gripe constituem invasão do corpo por Vento-Frio ou Vento-Calor exteriores.
bad-site  As causas mais frequentes de fadiga são: fraqueza constitucional hereditária (por ex. a saúde e idade dos pais no momento da concepção e condições da gravidez); excesso de trabalho físico ou mental (longas horas de trabalho sem o repouso adequado ou sob condições estressantes e até mesmo excesso de exercício ou atividades esportivas); uma dieta alimentar inadequada e irregular enfraquece diretamente os meridianos do Estômago e Baço-Pâncreas e causa   a fadiga crônica, uma vez que estes meridianos são a origem do Qi e do sangue.
Segundo a Dietoterapia Chinesa, são alimentos do elemento Terra (BP/E): temperos como louro, manjericão, açafrão, hortelã, cravo, cardamomo, canela e alecrim; carboidratos complexos fornecidos por cereais integrais, feijões, tubérculos, raízes, frutas: cebola, abóbora, nabo, beterraba, maxixe, inhame e outros vegetais redondos; uma pequena quantidade de queijos, iogurte ou coalhada; painço; maçã, mamão, laranja-lima e outras frutas mais ou menos amarelas, sempre bem mastigadas ou chupadas, não em suco; refresco de limão e de maracujá; chás de camomila, erva-doce, artemísia, erva-cidreira; café de cevada torrada e moída. Para o tratamento da fadiga podemos aliar uma dieta equilibrada segundo a visão da Dietoterapia Chinesa às técnicas de Acupuntura, Moxabustão e de outras terapias orientais.

Paula Pereira da Silva
Nutricionista
Acupunturista Energética

“Os Gritos do corpo são as mensagens das emoções” (Michael Odoul)


  Durante um pouco mais de mês sofri com uma tosse que não sabia a causa, não era gripe, não era alérgica, aparecia somente ao deitar e ao comer alguns determinados alimentos (mas até então eu não havia me atentado a isso).
Depois de um mês tossindo, e de ter tomado 3 xaropes inteiros, resolvi ir a um otorrinolaringologista, amigo da família, que me examinou e disse que não tinha nada, nem em pulmão e nem em vias aéreas superiores. Foi aí que ele me perguntou se eu tinha algum “problema” de estômago, na hora lembrei que há menos de um ano fui diagnosticada com esofagite, e na época fiz o tratamento medicamentoso e alimentar, ele me disse que essa tosse era reflexo dessa esofagite (junto com refluxo) e que teria que voltar a tomar os remédios e fazer uma dieta alimentar rigorosa. No mesmo dia liguei para o gastro (que me acompanha) que me orientou da mesma maneira.
refluxo Um pouco antes de procurar um médico, duas profissionais (fisioterapeutas, uma acupunturista e outra osteopata) que trabalham comigo fizeram perguntas diretas sobre algumas emoções que eu estaria passando, que se relacionavam ao sistema digestivo. Na hora não entendi o porquê, pois nunca relacionei uma tosse a uma determinada enfermidade do sistema digestivo, mas aos poucos tudo foi fazendo sentido, afinal sempre acreditei que nossas emoções e pensamentos, influenciavam no nosso corpo físico, e mesmo elas não sabendo se algo estava se passando no meu emocional, tiveram a sensibilidade de ir direto ao ponto.
Voltei com tratamento medicamentoso e alimentar, porém não somente, parei para analisar meu momento de vida, e minha maneira de encarar algumas determinadas situações. Lendo um livro, muito bom (Diga-me onde dói e eu te direi por quê), li o seguinte parágrafo:    – Os Males do sistema digestivo vem nos falar da nossa dificuldade para engolir, para digerir, para assimilar o que acontece na nossa vida. “Eu não consegui engolir o que ele me disse”, ou então “Nunca consegui digerir muito bem o que você fez”.
Como são as coisas, ficamos muito presos aos sintomas físicos e nos esquecemos que somos um todo: Corpo, mente e espírito, e se algo não está em equilíbrio, todo o restante adoece. Há muitos anos atrás tive crises de gastrite, e hoje em dia vejo que somatizei, pois apenas tratei o corpo, e deixei de lado a mente e o espírito.
Termino com a seguinte citação, do mesmo livro:728px-Cure-Esophagitis-Step-1-Version-2  “Na medicina oriental, a doença é testemunha de um obstáculo para a realização do Caminho da Vida. Assim, a consciência exprime, por meio de problemas ligados à energia que geram doenças, os entraves ao seu desenvolvimento pleno. Parece, então, mais lógico compreender os mecanismos psicoenergéticos que estão por trás da doença afim de recobrar a saúde” (Dr.Thierry Médynski).

Marianna Paffetti

 

O indivíduo como um todo: trabalhando corpo, mente e espírito.


pilates clinico  Muitos profissionais da saúde, como eu, já devem ter se deparado com casos de pacientes que fogem do típico caso “físico”. Pacientes que demonstram ter nos motivos de suas dores muito mais do que causas mecânicas.
Esses pacientes devem nos fazer lembrar que devemos considerar que todo indivíduo necessita de bem estar físico, psíquico e social para ter saúde. Portanto, devemos focar nosso olhar além do sinal e sintoma físico. Devemos nos lembrar de que, além disso, nós também somos mente e espírito, um ninho de sentimentos e emoções.
E como ter a real certeza de que o nosso paciente/aluno está participando ativamente em sua melhora?
Devemos antes de tudo incentivar essa pessoa à, primeiramente, olhar para dentro de si. Fazer com que sinta que aquele é seu momento. Torná-lo ciente de que o caminho para o bem estar e a felicidade, é justamente manter o foco em si mesmo.
Além do conhecimento acadêmico devemos ter em mente o quanto devemos ser sensíveis ao lidarmos com a vida humana. E isso começa em nós, é um desafio que devemos nos propor para que possamos transmitir ao outro.
Uma ferramenta muito abrangente para lidar com o corpo, a mente e o espírito é o Método Pilates, onde a concentração é um dos princípios mais importantes, pois sem ele nenhum outro pode ser efetivamente trabalhado. Sem concentração não é possível, por exemplo,  respirar adequadamente, manter o equilíbrio, a centralização, manter a fluidez.
Então é nessa concentração para atingir o melhor desempenho que o paciente/aluno direciona sua mente em si. Conhece seu corpo, suas limitações e, consequentemente com esse trabalho interior, começa a entender que trabalhar seu espirito é essencialmente voltar seu olhar para dentro de seu próprio corpo.
Joseph Pilates dizia que o corpo é nosso bem maior, pois ele guarda e reflete nossa alma. Ele enfatizava a concentração, o estar presente na prática, ou seja, valorizar o seu momento. Portanto, estar bem consigo mesmo é o caminho para a felicidade e consequentemente estar em sintonia com o mundo ao seu redor.

Ivana Freitas