Saúde

Arquivo para a categoria ‘Livros Teatros Textos’

Mulher – Sexo Frágil?


         O dia internacional da mulher é um data bastante célebre na qual se relembra as lutas políticas e as conquista do sexo dito “frágil”. Contudo, esse conceitos já se transformou inúmeras vezes e vemos hoje a mulher com “n” facetas: trabalha, cuida de casa, cuida da família e se aventura em tantas outras atividades que anteriormente eram consideradas exclusivas dos homens.
Dessa forma, vemos que o aumento de atividades proporcionou a mulher que pudesse se lesionar mais. Há alguns aspectos que devemos considerar quando pensamos na reabilitação de lesões em mulheres: deve-se considerar variações anatômicas, tais como quadris mais largos, cotovelos e joelhos com angulações diferentes, e principalmente questões hormonais, uma vez que a regulação dos hormônios sexuais, como por exemplo, o estrógeno e a progesterona estão diretamente ligados ao funcionamento e manutenção dos tecidos presentes no nosso esqueleto, nos tendões e ligamentos. Não é incomum, por exemplo, que mulheres mesmo no início da gestação apresentem queixas de dor lombar decorrentes das alterações da regulação de estrógeno e progesterona, mesmo que sem o incremento de peso corpóreo.
Também, a mulher quando atinge o climatério, no qual há uma importante diminuição da produção de estrógeno, tenha que se atentar ao funcionamento do esqueleto, já que esse hormônio é fundamental para a manutenção de bons níveis de cálcio nos ossos. Eventualmente, deve-se utilizar suplementação deste mineral na dieta e manter-se sempre ativa para também estimular a sua fixação.
Por isso, mulheres, não se sintam desamparadas! Acredito que somos tão fortes e tão capazes quanto qualquer outro! E se temos este corpo, e corpo que é considerado como o mais belo pelo sexo oposto, tratemos de cuidar dele com o cuidado e atenção que ele merece! Feliz dia Internacional da mulher!

Lina Cadamuro
Fisioterapeuta

Anúncios

Como transformar os ensinamentos de Lao Tsé em postura terapêutica?


   De acordo com Lao Tsé, o Tao te Ching pode ser interpretado como um manual para alcançar um caminho de vida, que busca o equilíbrio físico, mental e espiritual na vida das pessoas. Um caminho que garanta a integridade, prazer, paz e harmonia na vida de cada indivíduo.
A idéia do desapego, de se livrar de coisas que acumulou durante uma vida inteira, ajudará a trazer novos desafios, novas visões, oportunidades e mudanças.
Lao Tsé tenta nos ensinar que todos os seres vivos estão aptos para retornar ao lugar de onde viemos e viver uma vida com uma perspectiva espiritual para ser um ser realizado.  Ele ensina que devemos aprender a morrer durante a vida, pois é morrendo que retornamos à nossa essência. Devemos morrer enquanto estamos vivos para que possamos fugir e escapar de nosso próprio corpo para nos tornarmos livres de nós mesmos.
O espírito de um homem segue sua própria natureza. Tudo volta para sua fonte, sua origem. Tudo é natureza e tudo tem natureza e devemos confiar nela.
Desapegue do que te prende, do ego, das crenças, do que você é, do que você tem, do que você faz, do que as pessoas acham de você e troque o controle por confiança, o medo por curiosidade. Mantenha-se humilde, pois a paz é feita com que fazemos a nós mesmos.
Ajude as pessoas imparcialmente, faça doações, mantenha-se contente, tenha gratidão pelas coisas e pelas pessoas, seja flexível, maleável e permita-se.
Entenda a nossa natureza através de observações, que tenhamos consciência que se tem menos controle daquilo que é forçado, que quanto mais regras fazemos, mais quebradores de regras existirão.
Aprenda com a natureza, estude-a, conecte-se com ela para que você possa se reconectar com seu eu interior.
Devemos viver sem interferir, ouvir e manter-se calado.    Devemos permitir descobrir a vida naturalmente e deixar que as pessoas também possam fazer isso naturalmente, no tempo delas, respeitando-as, pois todos nós sabemos a coisa certa a se fazer, todos temos essa certeza em nossos corações.
Tudo tem o seu tempo, um tempo para todos os propósitos. Existe uma hora para todas as coisas acontecerem e o homem não deverá interferir e sim respeitar e esperar que as coisas aconteçam naturalmente, para que o equilíbrio perpetue.
Devemos parar de pensar grande e começar a pensar pequeno, o menos é mais e o mais é menos. Buscar a simplicidade das coisas e nas coisas. Pensar pequeno para alcançar grandes feitos. Vivenciar cada momento, fazer um dia de cada vez e assim venceremos.
product_thumbnail.php   Todos nós somos um e viemos de uma mesma fonte, sendo assim, precisamos nos conectar com cada ser, cada pessoa, cada animal, cada ser vivo.
Pratiquemos o não julgar para que alcancemos a paz e, se queres saber o caminho, entenda a grandiosidade de dentro de si mesmo e tudo será resolvido com o amor. O amor vence o conflito.
Não existe caminho para a felicidade, pois a felicidade é o caminho. Traga a felicidade para tudo que faz. Confie nas pessoas e na flexibilidade. Viva sem agarras. Seja generoso. Pratique a humildade. Não procure por milagres, veja tudo como milagroso. Aprenda a amar as coisas e as pessoas para vencermos conflitos e vivermos juntos com alegria, paz, harmonia, gratidão e equilíbrio.
São esses sábios ensinamentos de Lao Tsé que devemos aceitar,  compreender, absorver e praticar em nossas vidas, em nossas rotinas, para assim então adotarmos tudo isso de forma natural, de dentro para fora, como postura terapêutica. Assim, tratamos o paciente como um todo, como um ser único. Não olhamos somente a doença e a dor, mas procuramos enxergar e proporcionar, de modo geral, o bem estar do paciente.
Podemos transformar os ensinamentos de Lao Tsé em postura terapêutica quando compreendemos que a chave para o equilíbrio e bem estar físico, mental e espiritual está na mudança do pensamento e do comportamento para alcançar o “eu interior”.
O Tao te Ching de Lao Tsé é praticado durante todo o atendimento, quando fazemos o reequilíbrio energético, trabalhando com os cinco elementos, teoria do ying – yang e com a cronoacupuntura. Quando fazemos recomendações para o paciente, mencionando mudanças de pensamentos e atitudes baseados na teoria do Tao, quando receitamos a dietética e fitoterapia e até mesmo quando aconselhamos meditações, exercício físicos e respiratórios  estamos praticando os ensinamentos do grande sábio Lao Tsé.
Fabiane Kanasiro
Aluna do Curso de Formação em Acupuntura pela Clínica Vitalidade Integrada

Uma Conversa


44ac2394-d9bc-4b3b-a46b-f021d2761223.jpgEm um tempo em que as informações estão bastante disponíveis ao toque de “click” no computador e com a proximidade do final do ano e das Festas, trago neste informativo uma pequena reflexão.
O último mês foi marcado por acontecimentos de grande impacto ao redor do mundo e em nosso país. Acontecimentos totalmente inesperados e que, por alguns instantes, podem até soar como absurdos. Eles nos fragilizam, nos deixam indignados, sem chão. Trazem à tona revolta, nos apontam os erros e descaso com o próximo. Mas, como diante de tanta indiferença, abandono e caos buscar algo que nos una ou que nos mova para uma transformação?
De fato, não é simples enxergar um caminho para a superação e, muito menos, colocar esses ideias em prática. Ouvi em uma palestra nesta semana, o escritor Mia Couto contar sobre seu novo livro; ele dizia que os nossos ideias e buscas se baseiam em sentimentos que enxergamos nos outros e que nos parecem comuns, algo no qual nos espelhamos e que nos completam ou que nos trazem uma forma de como gostaríamos de ser. Contudo, esses sentimentos ainda não são nossos e que ao alcança-los passamos por novos renascimentos!
Renascimentos! No nosso trabalho aqui na Vitalidade Integrada, acredito que os terapeutas passam por isso junto aos seus pacientes todos os dias! Vemos vocês chegarem de uma certa forma e oferecemos o espaço para tentativas e erros e para poder construir novos comportamentos, ideias e desafios! E ao propormos esse trabalho, inevitavelmente, passamos por tais transformações juntos!
Por isso, proponho aos leitores que neste final de ano, coloquemos esses sentimentos na roda e olhemos ao redor; o que desejamos para nós mesmo neste fim de ano? E o quê, dentro de um mundo tão vasto, nos cabe para que esses sentimentos sejam de todos?
Um bom fim de ano à todos,

Lina Cadamuro
Fisioterapeuta da Clínica Vitalidade Integrada

Uma vivencia inspiradora no Hospital de Qi Gong na China


Tive uma experiência muito inspiradora no Hospital Internacional de Qi Gong em Beijing.

1Na China, existe uma certa desconfiança por parte dos professores para transmitir os conhecimentos aos alunos estrangeiros. Enfrentamos algumas dificuldades nos Hospitais que tivemos aula, porém neste Hospital do Professor Wan foi tudo diferente.

Este mestre é uma pessoa iluminada, de uma história de vida incrível!

É de conhecimento que os casais chineses só podem ter um filho, e a “preferência” é que este filho seja do sexo masculino. Alguns filhos que nascem não atendendo às expectativas dos pais são abandonados. Este mestre é responsável por inúmeras crianças que foram abandonadas, ele fundou duas instituições – uma onde moram todas as crianças que são portadoras de necessidades especiais e a outra que ficam as crianças órfãs que possuem condições de 3aprendizado. Para estas últimas, o mestre ensina Qi Gong, Acupuntura, Kung Fu, Tai Chi Chuan, entre outras técnicas, para que estas cuidem das crianças com necessidades especiais.

Este mestre nos acompanhou de perto durante todo tempo que ficamos lá – passamos por atendimentos, cuidados com nossa alimentação, aprendemos técnicas de meditação, para depois disso, começarmos nosso treinamento de Qi Gong e 2Acupuntura.

Aprendi muito com ele, mas o principal aprendizado foi da sua consciência e responsabilidade social!

Quando o conhecimento que possuímos é exclusivo e retido, não gera frutos e não nos deixa mais sábios.

Marcela Jacob

Psicóloga e Acupunturista

Clinica Vitalidade Integrada

Citação

Indicação de Filme – A Dama de Ferro


Cuidado com os seus pensamentos porque eles podem se transformar em palavras.

Cuidado com as suas palavras porque elas podem se transformar em ações.

Cuidado com as suas ações porque elas podem se transformar em hábitos.

Cuidado com os seus hábitos porque eles podem se transformar em caráter.

Cuidado com o seu caráter porque ele pode se transformar em seu destino.”

Bob Pierce

 

http://www.youtube.com/watch?v=7ygvwKtbtaM&feature=related

Livro: Sem Asas ao Amanhecer


Na experiência clínica, verificamos como é frequente pacientes mulheres, que utilizam anticoncepcional via oral, sofrerem trombose.

As usuárias de anticoncepcionais orais apresentam até quatro vezes mais chances de apresentarem trombose venosa profunda quando comparadas à população em geral. Esta doença possui como complicação o tromboembolismo pulmonar, que é uma afecção grave com alto índice de mortalidade. Dentro deste contexto deve-se ter muito cuidado na decisão do uso ou não desses medicamentos“. (Fonte: http://boasaude.uol.com.br/lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=3935&ReturnCatID=1786).

De acordo com a Medicina Tradicional Chinesa, a trombose está diretamente relacionada ao meridiano de Circulação e Sexualidade (CS), Coração (C) e Fígado (F). Pela nossa experiência, verificamos que pessoas de tipologia madeira / fogo têm tendência maior para sofrerem trombose. Entendemos por Tipologia Madeira (Fígado), pessoas inteligentes, de clareza de raciocínio tal, que há uma intolerância com quem não tem, e com quem é muito diferente delas mesmas, “donas da verdade”, com tendência a sofrer uma certa irritabilidade e episódios de raiva. Cefaléias podem ocorrer com certa frequência. E a Tipologia Fogo (C e CS), diz de pessoas ansiosas, agitadas, eufóricas, que vivem com a mente já no futuro, se interessam facilmente pelas coisas, podem ter uma dificuldade para terminar tudo o que se propõem a fazer; fisicamente, podem já sofrer de desequilíbrio na circulação sanguínea, como inchaços nas extremidades ou varizes, por exemplo.

Com esta informação, podemos refletir sobre prevenção: seria importante pessoas que já possuem algumas destas tendências evitar o uso de anticoncepcional.

Partindo do pressuposto que curar é zelar pela vida, a missão do profissional da saúde é de auxiliar a cura, ajudar a vida a fluir. E para isso, vale muito aprendermos com a vivência dos outros.

Segue abaixo a indicação de um livro a respeito desta temática, mas que também é muito rico para refletir sobre relacionamentos.

Luciana Scotti, neste livro, partilha sua vida e sabedoria, após ter sofrido uma trombose e, como consequência, ficado tetraplégica, sem movimentos e sem poder falar.

Como o ser humano é frágil! Em apenas um segundo tudo pode mudar“.


Trechos que revelam a importância de estabelecermos relacionamentos honestos e verdadeiros, em que ambos estejam por inteiro. E para estar por inteiro, é primordial acessar seus sentimentos mais profundos. Como diria Saint-Exupéry: “Só se vê bem com o coração. O essencial é invisível aos olhos”.

Nunca expus minhas idéias, meus sentimentos reais… Hoje percebo como deixei passar coisas, driblei sentimentos e emoções, evitei deparar com mágoas e dissabores. No mundo que a gente vive, parece que todos são assim. Nada fica muito claro, tudo pode ser adiado… No fundo, bem no fundinho mesmo, durante todo o tempo em que convivi com Lucas (ex-namorado), eu poderia ter desconfiado que existia algo de errado nesse relacionamento, que minha família tinha razão, que eu estava dando muito mais amor que recebendo. Quero hoje acreditar que em algum lugar do meu ser habitava essa desconfiança, mas eu nem pensava nisso, nem poderia imaginar algum tipo de desigualdade em nossos laços afetivos. Eu não queria imaginar. E se eu sabia disso… eu não queria admitir“.

Com muita coisa na vida, a gente age assim. Como se estivéssemos nos defendendo de nós mesmos, dos nossos próprios pensamentos. Somos capazes de convivermos anos e anos com uma pessoa qualquer e deixar nos enganar por aparências, palavras, gestos. Nós nos iludimos, nos machucamos; mas algumas vezes podemos evitar isso. Deveríamos mergulhar profundamente no âmago do outro ser. Seja ele um namorado, um marido, uma amiga, um colega, sei lá… Isso nos pouparia decepções, muitas vezes dolorosas“.

(…) lembro-me de como as pessoas se encantavam pelo o que eu demonstrava ser e tenho certeza de que essa casca que ostentamos não passa disto: uma casca frágil, uma folha seca que pode se despedaçar. É preciso ir além. Observando mais atentamente as pessoas, procuro ir mais profundo que as aparências e reflito muito sobre todos que se aproximam de mim. Eu nem sempre refletia, ia deixando a vida seguir seu fluxo e não me preocupava se eu estava me iludindo ou não, se eu estava me mascarando ou não para os outros“. Luciana Scotti.

E com esta idéia que finalizo a indicação do livro e desta reflexão: quanto custa nos mascararmos aos outros e a nós mesmos? Quanto custa não zelarmos por nossas vidas e não buscarmos por prevenção de nossa saúde?

Marcela Jacob

A Alma Imoral


Existem certezas anteriores à razão”.

Fui assistir a uma peça, “Alma Imoral”, por indicação de duas pacientes: confesso que desconfiada, por saber que a peça era um monólogo de uma mulher nua.

Para minha surpresa, a nudez foi um recurso facilitador para eu entrar em contato com o teor da peça.

Não há nudez na natureza. Deus só reconhece a nudez do homem, na vergonha que o homem sente da própria nudez”.

Talvez, por isso, me comoveu tanto, ao lidar com tamanha transparência e honestidade, sem vestimentas e sem máscaras, era como se todos os expectadores daquela sala se igualassem. Deixei de enfocar o corpo e a moral, para visualizar a alma. Eu vi a sua alma!

E para a Alma, o Rabino Nilton Bonder, atribui uma característica genuína, a Imoralidade. A alma imoral tem como natureza a transgressão, a desobediência, a traição.

Penso: a alma, diferentemente do corpo, não possui forma, padrão e limite. Atualmente, nem sabemos onde localizá-la em nosso corpo. Como ela seria moldada e conduzida por uma moral?

Lei é o privilégio concedido a uma determinada compreensão”.  E por isso, “a desobediência da lei é muitas vezes a opção mais próxima da lei que a própria lei”.

De certa forma, a peça direciona um questionamento das leis estabelecidas e da tradição, e a nossa postura de seguir estas leis e tradições sem uma reflexão, sem a consciência de que realmente queremos isso ou aquilo, apenas como comportamento automático.

 “Não há tradição sem traição”.

Se assim não fosse, como Niskier conclui perfeitamente, a lei não seria uma lei, e sim uma arbitrariedade.

Com alguns exemplos do Antigo Testamento, Niskier demonstra como a traição e a desobediência da lei faz com que a tradição evolua. E que o texto bíblico não julga e nem condena.

Por um lado, penso nas traições que eu e meus pacientes cometemos: até mesmo a fidelidade a alguém ou a algo pode caracterizar-se como traição da nossa alma, das nossas reais vontades e dos desejos mais pessoais.

Por outro lado, penso no julgamento que realizamos aos outros. Julgar nada mais é que atribuir a sua verdade a verdade do outro, sem saber do contexto, da intenção e dos recursos que o outro tinha para ter tido tal atitude. E se pensarmos que cada indivíduo é único e possui a sua verdade (seus valores, sua história de vida, sua educação), sempre que julgamos estamos errados.

Há um olhar que desnuda, que não hesita em afirmar que existem fidelidades perversas e traições de grande lealdade”.

O apego é uma forma de trair a alma. Entendendo o apego como uma crença ilusória de que você só será feliz, realizado, completo se estiver com determinada pessoa, coisa ou situação; naturalmente traz a pessoa a uma posição de dependência. Por outro lado, a alma que por ser transgressora, tem em si a idéia de liberdade.

Nenhum lugar pode ser amplo pra sempre,” bem como o ventre materno. “Saber entregar-se às contrações de um lugar estreito para um lugar amplo é um processo assustador e avassalador”.

Aquele que não faz uso de todo seu potencial na vida, de alguma maneira diminui o potencial de todos os humanos”.

Este é o caminho para o crescimento!

Esta peça é riquíssima! Conheço algumas pessoas que já assistiram mais de cinco vezes e afirmam que a cada vez a peça “tocou” de um jeito diferente.

Neste texto mesmo, não abordei outros temas que também me marcaram, mas acredito que é válido até para que você tenha maior curiosidade para assistir e comentar aqui no blog sua percepção.

Marcela Jacob

Monólogo: Clarice Niskier

Baseado no Livro: A Alma Imoral de Nilton Bonder

Recomendo: http://www.almaimoral.com/