Saúde

Arquivo para a categoria ‘Psicoterapia’

Coaching – O caminho só existe quando você passa…


669d2397-5a18-4800-9739-bd2421c79d45.jpg

Um jovem, toda semana, vinha de muito longe participar de um curso de auto – conhecimento.  Um dia chegou até o professor e disse-lhe:

– Mestre:  tenho notado o comportamento de seus alunos.  Alguns deles tiveram a vida completamente transformada, outros mudaram em algumas coisas, mas existem muitos – e Eu estou entre eles – que nada mudaram.  Que explicação o senhor tem para isso? – perguntou o jovem.

O professor, depois de olhar serenamente para o rapaz, respondeu com humildade:

– Filho, você vem toda semana de longe ouvir-me falar, não é?

– Sim, mestre – respondeu o rapaz.

– Você conhece bem o caminho? – perguntou o mestre.

– Sim – respondeu o rapaz.

– Se alguém lhe perguntar como fazer para chegar até a cidade onde você mora, o que você faria?

– Olha mestre, Eu explicaria o caminho da melhor forma possível – respondeu o jovem.

– E você acredita que todos chegariam só com sua explicação ou seria preciso percorrer o caminho?

– É claro mestre, que só chegariam aqueles que percorressem o caminho – respondeu o rapaz.

Nesse momento o professor concluiu:

– Filho, assim são os meus ensinamentos.  Eu os ensino da melhor maneira possível.  Todos podem ouvi-los atentamente, mas só irão se transformar aqueles que realmente os colocarem em prática.

O caminho é ensinado a todos, mas só chegam aqueles que fazem o percurso.

O processo de  “coaching”  tem exatamente esta proposta – a de fazer com que a gente consiga fazer o percurso…caminhar de um ponto a outro. 

O primeiro passo no processo é  identificar “qual é o nosso desejo”  , “qual é o lugar onde queremos  chegar ” ? Uma vez definido este  lugar , começamos a explorar  os possíveis caminhos que nos levarão até ele…  Neste momento  nos deparamos com obstáculos, medos, incertezas e percebemos os  tantos  caminhos, alguns até bem conhecidos-  que de alguma forma já percorremos no passado, mas ao final nos desviaram daquele propósito tão desejado ou nos distanciaram ainda mais dele. …  Vamos explorando estas vivências, acolhendo, esclarecendo, nos conhecendo e assim nos apropriando mais das nossas escolhas e da  liderança de nossas vidas. Definindo ações,  praticando, caminhando … 

E assim é  a nossa vida.  Você só chega à transformação quando experiencia o que aprendeu. Errando , acertando … mas caminhando , pois o caminho só existe quando você passa por ele.

Denyse Abejon
L
ife Coaching & Desenvolvimento Humano

Fonte: livro –  Para Que Minha Vida Se Transforme / Maria Sallete e Wilma Ruggeri – editora 

Anúncios

“Os Gritos do corpo são as mensagens das emoções” (Michael Odoul)


  Durante um pouco mais de mês sofri com uma tosse que não sabia a causa, não era gripe, não era alérgica, aparecia somente ao deitar e ao comer alguns determinados alimentos (mas até então eu não havia me atentado a isso).
Depois de um mês tossindo, e de ter tomado 3 xaropes inteiros, resolvi ir a um otorrinolaringologista, amigo da família, que me examinou e disse que não tinha nada, nem em pulmão e nem em vias aéreas superiores. Foi aí que ele me perguntou se eu tinha algum “problema” de estômago, na hora lembrei que há menos de um ano fui diagnosticada com esofagite, e na época fiz o tratamento medicamentoso e alimentar, ele me disse que essa tosse era reflexo dessa esofagite (junto com refluxo) e que teria que voltar a tomar os remédios e fazer uma dieta alimentar rigorosa. No mesmo dia liguei para o gastro (que me acompanha) que me orientou da mesma maneira.
refluxo Um pouco antes de procurar um médico, duas profissionais (fisioterapeutas, uma acupunturista e outra osteopata) que trabalham comigo fizeram perguntas diretas sobre algumas emoções que eu estaria passando, que se relacionavam ao sistema digestivo. Na hora não entendi o porquê, pois nunca relacionei uma tosse a uma determinada enfermidade do sistema digestivo, mas aos poucos tudo foi fazendo sentido, afinal sempre acreditei que nossas emoções e pensamentos, influenciavam no nosso corpo físico, e mesmo elas não sabendo se algo estava se passando no meu emocional, tiveram a sensibilidade de ir direto ao ponto.
Voltei com tratamento medicamentoso e alimentar, porém não somente, parei para analisar meu momento de vida, e minha maneira de encarar algumas determinadas situações. Lendo um livro, muito bom (Diga-me onde dói e eu te direi por quê), li o seguinte parágrafo:    – Os Males do sistema digestivo vem nos falar da nossa dificuldade para engolir, para digerir, para assimilar o que acontece na nossa vida. “Eu não consegui engolir o que ele me disse”, ou então “Nunca consegui digerir muito bem o que você fez”.
Como são as coisas, ficamos muito presos aos sintomas físicos e nos esquecemos que somos um todo: Corpo, mente e espírito, e se algo não está em equilíbrio, todo o restante adoece. Há muitos anos atrás tive crises de gastrite, e hoje em dia vejo que somatizei, pois apenas tratei o corpo, e deixei de lado a mente e o espírito.
Termino com a seguinte citação, do mesmo livro:728px-Cure-Esophagitis-Step-1-Version-2  “Na medicina oriental, a doença é testemunha de um obstáculo para a realização do Caminho da Vida. Assim, a consciência exprime, por meio de problemas ligados à energia que geram doenças, os entraves ao seu desenvolvimento pleno. Parece, então, mais lógico compreender os mecanismos psicoenergéticos que estão por trás da doença afim de recobrar a saúde” (Dr.Thierry Médynski).

Marianna Paffetti

 

O Inverno na Perspectiva Chinesa


“Inverno está chegando…
Mãos e pés congelados?
Vontade de ficar um pouco mais na cama, debaixo do cobertor…
Dá mais preguiça, mais fome”…

Tudo isso é muito pertinente nesta estação do ano!

O que acontece com as árvores neste momento? As folhas e os frutos já se foram, os galhos permanecem. Se olharmos para algumas árvores, teremos a sensação de que estão mortas.
    
E os ursos? Hibernam!!!
Dia 15 de maio iniciou o Inverno, de acordo com os cálculos da Acupuntura (considerando as cinco estações do ano). Isso significa que há energia de inverno disponível externamente para nós acessarmos, ou seja, energia de recolhimento, de descanso e de repouso.
Se o mundo externo exigir muito agito, muitas atribuições, poderemos entrar em desequilíbrio mais facilmente.
Esta energia de repouso não é a toa! Existe uma função, a função do inverno!

Unindo todas estas imagens comentadas, é um período propício para introspecção, às vezes é tanto sono e recolhimento, que pode parecer “morte”, seja pelo desânimo, ou falta de eficácia, ou pela morte daquilo que é conhecido, que já foi vivido, é uma introspecção para desligarmos daquilo que foi vivido na primavera que passou, para nos abrirmos para a próxima. É um período de concentração de energia no sono e na fome, para usarmos a energia na reflexão das nossas verdadeiras vontades e desejos.
Na Acupuntura, sabemos que tudo tem a energia Yin e Yang, e como foi falado a cima que a árvore possivelmente está morta (yin), na verdade, se olharmos bem para ela, veremos também que dentro pulsa a vida (yang)! A vida que surgirá na próxima primavera. É este pulsar que ocorre dentro de nossos corações nesta etapa.

A questão que fica é: o que eu realmente quero para minha vida neste momento? Como usar este inverno para me aproximar de minhas genuínas aspirações? 

Nem sempre conseguimos estar com nossas vidas em sintonia com as estações do ano. Se você já está vivendo a primavera (novos projetos) em pleno inverno, apenas significa que você pode desgastar mais energia pessoal, e para isso, é importante assumir alguns cuidados adicionais.
Mas se não está claro para você qual estação do ano está vivenciando, experimente se conectar com este inverno de uma forma diferente, e acessar estas simbologias dentro de você!
“Eliminando” o que há de “velho” em você e se permitindo questionar qual vida quer brotar para a próxima primavera!?
   
Neste momento, inclusive a alimentação sofre transformação! Como é um momento de maior esgotamento de energia, então vale dar importância a alimentos nutritivos, evitando alimentos crus que podem resfriar ainda mais o corpo. Sugestões: chás, sopas, feijões, alho, gengibre, grãos integrais e vegetais de raízes.

Marcela Jacob

Uma Conversa


44ac2394-d9bc-4b3b-a46b-f021d2761223.jpgEm um tempo em que as informações estão bastante disponíveis ao toque de “click” no computador e com a proximidade do final do ano e das Festas, trago neste informativo uma pequena reflexão.
O último mês foi marcado por acontecimentos de grande impacto ao redor do mundo e em nosso país. Acontecimentos totalmente inesperados e que, por alguns instantes, podem até soar como absurdos. Eles nos fragilizam, nos deixam indignados, sem chão. Trazem à tona revolta, nos apontam os erros e descaso com o próximo. Mas, como diante de tanta indiferença, abandono e caos buscar algo que nos una ou que nos mova para uma transformação?
De fato, não é simples enxergar um caminho para a superação e, muito menos, colocar esses ideias em prática. Ouvi em uma palestra nesta semana, o escritor Mia Couto contar sobre seu novo livro; ele dizia que os nossos ideias e buscas se baseiam em sentimentos que enxergamos nos outros e que nos parecem comuns, algo no qual nos espelhamos e que nos completam ou que nos trazem uma forma de como gostaríamos de ser. Contudo, esses sentimentos ainda não são nossos e que ao alcança-los passamos por novos renascimentos!
Renascimentos! No nosso trabalho aqui na Vitalidade Integrada, acredito que os terapeutas passam por isso junto aos seus pacientes todos os dias! Vemos vocês chegarem de uma certa forma e oferecemos o espaço para tentativas e erros e para poder construir novos comportamentos, ideias e desafios! E ao propormos esse trabalho, inevitavelmente, passamos por tais transformações juntos!
Por isso, proponho aos leitores que neste final de ano, coloquemos esses sentimentos na roda e olhemos ao redor; o que desejamos para nós mesmo neste fim de ano? E o quê, dentro de um mundo tão vasto, nos cabe para que esses sentimentos sejam de todos?
Um bom fim de ano à todos,

Lina Cadamuro
Fisioterapeuta da Clínica Vitalidade Integrada

Como lidar com medos e inseguranças?


Você costuma pensar muito nas coisas que vai viver, em como quer que seja o próximo feriado, como será o seu casamento, e na reunião que terá que conduzir na semana que vem?

Cuidado com as expectativas!Corretor-de-Imóveis-Insegurança-pode-minar-os-seus-negócios

Cuidado com as famosas antecipações mentais, “as pré-ocupações”.

A preocupação é uma tentativa de preparar-se para algo que irá viver, porém, você nunca terá 100% de controle sobre a situação, principalmente, se outras pessoas farão parte. Sempre há o elemento surpresa em todos nós! Quantas vezes você mesmo não se surpreendeu com o que falou em determinada situação ou como reagiu à outra? Assim também acontece com as outras pessoas, ninguém é totalmente previsível.

Pense, interiorize-se e observe a si mesmo: quais são suas verdades fundamentais? Onde você baseia sua segurança pessoal?

Pensamentos como: “tenho que agradar o outro para ser amado”, “gosto de corresponder às expectativas dos outros”, “me cobro mais que cobro os outros”, “tenho que ser perfeito”, “não aceito viver nada diferente do que imaginei e planejei antes”.

Quais são os pensamentos que servem de fundamento para suas atitudes diárias? E o quanto estes pensamentos estão distantes das verdades absolutas?

Verdades absolutas são aquelas que poucas pessoas discordariam, como: “o efeito da gravidade”, “o fato de sermos seres mortais”, “não existe perfeição neste mundo”, “em qualquer relacionamento entre dois adultos, a responsabilidade é compartilhada, não tem como uma pessoa apenas ser culpada”, entre outras.

Quanto mais as suas verdades fundamentais estiverem distante das verdades absolutas, mais sofrimento pode haver.

Para lidar com as inseguranças e os medos pessoais, sugiro inicialmente que fundamente e reflita melhor sobre suas verdades. A outra forma é se permitir amar. Amar de verdade. Se quiser saber mais sobre esta segunda abordagem, posso escrever no próximo informativo da Clínica Vitalidade Integrada.

Marcela Jacob

Psicóloga e Acupunturista

Clínica Vitalidade Integrada

a-vida-começa-onde

Parto normal ou cesárea?!


Como profissional não médico que trabalha com gestantes, muitas das mulheres procuram o nosso serviço se questionando sobre a via de parto ao final da gestação. O que responder à elas?

Que o parto mais fisiológico e que apresenta menor propensão à riscos é o normal; que ele não solicita uma série de procedimentos invasivos e que a recuperação no pós parto é mais rápida, isso tudo mundo já sabe! E por que, mesmo assim, vemos uma taxa elevadíssima de partos cesárea no nosso país? Apesar de também sabermos que, o parto cesárea é um procedimento que tem suas indicações específicas e é responsável por salvar muitas vidas diariamente.

pragramasGestanteQuando minhas pacientes me questionam sobre uma “fórmula” ou como proceder para que a gestação caminhe para o parto normal geralmente conversamos que realmente não há “receita de bolo” para resolver tal questão. Sempre surgem dúvidas sobre a segurança da mãe e do bebê, medo da dor e insegurança com relação aos procedimentos envolvidos. Acredito que todos esses sentimentos sejam normais e certos de existirem neste momento. Por mais que haja uma boa conversa com o obstetra, a prática geralmente se torna diferente da teoria.

Por isso, vejo o parto como um processo que está sendo construído a cada dia da gestação. À medida que a gestante se informa, visita diferentes serviços, participa de palestras, se exercita e conhece a equipe que dará assistência à ela neste momento, ela deixa esse momento mais firme e sólido; ela se torna conhecedora do que enfrentará e deixa de fazer a construção do parto sobre informações que aquele conhecido veio a falar ou baseado nas experiências que são mostradas na mídia.

Afinal, a gestante/parturiente é a principal atriz deste momento tão único da vida! Ela é livre para escolher de que forma passará por este momento!

Aqui na Vitalidade Integrada, estamos cada dia mais contentes de poder contribuir para a construção destes processos e das famílias! Seja com consultas de fisioterapia, nutrição ou acupuntura. Queremos que essas mulheres sejam respeitadas e que possam ter um espaço para construir o pré-natal dentro de todos os sentimentos, da felicidade nunca antes vivida até o medo da dor e do desconhecido. Afinal, nada melhor que ouvir o chorinho de neném para ver que tudo valeu a pena!

Lina Cadamuro

Fisioterapeuta da Clínica Vitalidade Integrada

Como o Coaching Profissional pode ajudar?


Coaching Profissional

O Coaching profissional pode ajudar em vários aspectos da nossa vida profissional. Seja para potencializar competências, identificar aonde você quer chegar e como fazer para você chegar à sua meta e/ou em seu objetivo.

Hoje facilmente nos deparamos com falta de espaço nas nossas agendas, nos nossos dias e, essa falta de tempo, múltiplas tarefas impactam na falta de planejamento e até na definição de objetivos.

o-que-e-coaching-profissionalA falta de planejamento vai impactar negativamente em um momento ou outro da nossa vida profissional. E, essa falta de planejamento pode causar dúvidas, falta de posicionamento e em especial a não capacidade de tomadas de decisão.

Dessa forma, o Coaching Profissional pode ampliar a sua consciência sobre esses e outros aspectos.

Aonde eu quero chegar em 5 anos? Qual o cargo eu quero ocupar? O que eu faço me faz realmente feliz? É isso que eu quero para minha vida?

Flávia Godoy

Psicóloga e Coach