Saúde

Arquivo para a categoria ‘Saúde da mulher’

A INFORMAÇÃO DURANTE A GESTAÇÃO


pregnant-woman-1130612_1920.jpg

Aposto que as mulheres gestantes já ouviram todo tipo de história, lenda, fábula etc. Duvido que ao cruzar com uma gestante, você não tenha se lembrado de alguém que conheceu, alguém que passou por algo fantástico neste momento, alguém que precisou de ajuda e assim por diante. É um momento de marco e que nos remete a nossa própria história. Contudo, também é um período, de certa forma, místico que rodeia os anseios da mulher. Acredito que seja inevitável que a gestante não se questione sobre o que está sentindo:” Será que é normal?!”, “Isso é permitido?!”, “Será que pode?!”.

Na era digital, geralmente, recorremos ao Dr. Google (que tem respostas para tudo) e nem
sempre o resultado é positivo. Como profissional da saúde e pregnant-woman-1512962_1920.jpgque lida com gestantes, fico feliz em ver uma série de informações e debates agora à disposição na rede. Entretanto, é importante lembrar que não há fórmulas mágicas, tão pouco métodos infalíveis. A gestação não é uma receita de bolo. Cada mulher vem de um lugar diferente: que teve uma família grande ou com poucos irmãos ou que foi criada pela avó, que estuda, que trabalha no ramo financeiro ou que é que tem seu ateliê em casa, que faz patinação ou malha pesado e que possa gostar de cozinhar por hobbie etc.

pregnant-woman-1575263_1920.jpgA questão é que não há informação boba ou queixa que não seja queixa. Cara gestante, caso algo te incomode ou você sinta dúvidas, não hesite em conversar com seu médico ou profissional da saúde que a assiste. O período pré-natal, além de ser o momento de garantir um bom acompanhamento da sua saúde e a de seu bebê, é também o período para você poder falar das questões que rodeiam a SUA maternidade. Desfrute-o! E caso, possamos ajudar, estamos por aqui!

 

Por Lina Cadamuro

Anúncios

“Os Gritos do corpo são as mensagens das emoções” (Michael Odoul)


  Durante um pouco mais de mês sofri com uma tosse que não sabia a causa, não era gripe, não era alérgica, aparecia somente ao deitar e ao comer alguns determinados alimentos (mas até então eu não havia me atentado a isso).
Depois de um mês tossindo, e de ter tomado 3 xaropes inteiros, resolvi ir a um otorrinolaringologista, amigo da família, que me examinou e disse que não tinha nada, nem em pulmão e nem em vias aéreas superiores. Foi aí que ele me perguntou se eu tinha algum “problema” de estômago, na hora lembrei que há menos de um ano fui diagnosticada com esofagite, e na época fiz o tratamento medicamentoso e alimentar, ele me disse que essa tosse era reflexo dessa esofagite (junto com refluxo) e que teria que voltar a tomar os remédios e fazer uma dieta alimentar rigorosa. No mesmo dia liguei para o gastro (que me acompanha) que me orientou da mesma maneira.
refluxo Um pouco antes de procurar um médico, duas profissionais (fisioterapeutas, uma acupunturista e outra osteopata) que trabalham comigo fizeram perguntas diretas sobre algumas emoções que eu estaria passando, que se relacionavam ao sistema digestivo. Na hora não entendi o porquê, pois nunca relacionei uma tosse a uma determinada enfermidade do sistema digestivo, mas aos poucos tudo foi fazendo sentido, afinal sempre acreditei que nossas emoções e pensamentos, influenciavam no nosso corpo físico, e mesmo elas não sabendo se algo estava se passando no meu emocional, tiveram a sensibilidade de ir direto ao ponto.
Voltei com tratamento medicamentoso e alimentar, porém não somente, parei para analisar meu momento de vida, e minha maneira de encarar algumas determinadas situações. Lendo um livro, muito bom (Diga-me onde dói e eu te direi por quê), li o seguinte parágrafo:    – Os Males do sistema digestivo vem nos falar da nossa dificuldade para engolir, para digerir, para assimilar o que acontece na nossa vida. “Eu não consegui engolir o que ele me disse”, ou então “Nunca consegui digerir muito bem o que você fez”.
Como são as coisas, ficamos muito presos aos sintomas físicos e nos esquecemos que somos um todo: Corpo, mente e espírito, e se algo não está em equilíbrio, todo o restante adoece. Há muitos anos atrás tive crises de gastrite, e hoje em dia vejo que somatizei, pois apenas tratei o corpo, e deixei de lado a mente e o espírito.
Termino com a seguinte citação, do mesmo livro:728px-Cure-Esophagitis-Step-1-Version-2  “Na medicina oriental, a doença é testemunha de um obstáculo para a realização do Caminho da Vida. Assim, a consciência exprime, por meio de problemas ligados à energia que geram doenças, os entraves ao seu desenvolvimento pleno. Parece, então, mais lógico compreender os mecanismos psicoenergéticos que estão por trás da doença afim de recobrar a saúde” (Dr.Thierry Médynski).

Marianna Paffetti

 

Puerpério: viva mundo novo!


newborn-659685_1920O pós parto costuma ser um período no qual se espera que com o fim do peso da barriga haja também uma leveza e, enfim, a realização da maternidade. Contudo, os desafios e as mudanças estão apenas começando.

Da mesma forma como os hormônios se alteram durante a gestação, se espera que haja uma queda brusca de alguns deles no período pós parto. Dessa forma, o corpo da puérpera pode estar mais frágil tanto fisicamente como emocionalmente.

Ao contrário do que é mostrado nas revistas, quando famosos e celebridades passeiam pela praia com seus bebês, não se imagina pelo que se passou! Claro que há muito amor envolvido e que se trata de um momento único e muito especial, mas os entendimentos e acertos nem sempre ocorrem de maneira imediata.

Pela dificuldade das mamães de se deslocarem até a Clínica, passei a acompanhá-las em casa e vi uma gama de possibilidades: são tantos os relatos como as dúvidas que surgem nesse momento que percebi que este período demandava uma atenção totalmente especial! As dúvidas podem surgir desde questões mais práticas, mas também carregam os anseios e vontade de quem acabou de iniciar um novo ritual: adaptação a amamentação, rotina de cuidados do bebê, novas relações familiares etc.

Costumo dizer que não há receita de bolo para isso e que tudo depende. E depende mesmo! baby-1150109_1920Colocar alguns parâmetros de bom e ruim nesse momento podem não ajudar, já que podem fragilizar os pais e fazê-los sentirem-se incompetentes ou sem jeito para lidar com tais questões.

Nesse momento, recomendo um filme em cartaz atualmente nos cinemas. Chama-se “O Começo da Vida”; um documentário dirigido por Estela Renner que retrata os primeiros 1000 dias de vida de uma criança, abordando tanto as questões de desenvolvimento como os desafios e sentimentos envolvidos por parte dos pais.

Por aqui, na Vitalidade Integrada, continuamos nos dispondo a compartilhar este momento: que seja com algumas agulhas de acupuntura, exercícios abdominais, cuidado com os seios e orientações ergonômicas na

amamentação ou mesmo com uma visita e com uma conversa para ouvir as novidades e anseios! Seja bem vindo mundo novo!

Lina Cadamuro

A Respiração no Pilates


Inspira, expira, não pira!!

info adriana1

A Respiração no Pilates

Hoje em dia, muito se fala na importância da respiração para o relaxamento, redução do estresse, melhora do raciocínio e da qualidade do sono. Muitos exercícios de meditação e yoga são baseados na respiração.

Joseph Pilates, em sua infância, sofria de asma, raquitismo e febre reumática. Influenciado pelo pai ginasta, pela mãe naturopata e com muito estudo, se dedicou à melhora da sua saúde e força, sendo que as técnicas respiratórias foram fundamentais para o desenvolvimento de suas aptidões físicas.

Segundo Joseph Pilates, “Respirar é o primeiro e o último ato da vida”. A respiração tem a finalidade de limpar a corrente sanguínea através da oxigenação, reabastecendo o organismo com ar fresco e expulsando os gases nocivos. Ela deve ocorrer a partir de inspirações e expirações completas e tem papel importante na execução dos exercícios, sendo a respiração adequada um dos princípios do Pilates.

adriana 2

É comum os pacientes/alunos iniciantes de Pilates terem dificuldade em coordenar a respiração com a execução dos exercícios, muitas vezes a respiração fica curta, e é difícil respirar corretamente. Muita calma nessa hora! Com o treino, fica fácil perceber que a respiração é uma verdadeira aliada à melhora do desempenho nas atividades. A respiração auxilia na contração dos músculos do core ou caixa de força, auxiliando a estabilização da coluna e prevenindo dor e lesão. “Portanto, acima de tudo, aprenda a respirar corretamente” e bom treino!

Adriana Elisa Sellmer
Fisioterapeuta

De repente Mãe!


De repente eu estava grávida!

dia das maes
Um turbilhão de emoções aflorando de uma só vez, me senti dentro de um liquidificador. As primeiras doze semanas, as mais loucas e enjoadas da minha vida. E agora, o que comer? O que pensar? E meu pilates? Não podia continuar treinando sozinha!  Agora eu tenho um serzinho dentro do meu “centro de força”. Procurei a orientação da minha amiga especialista em gestantes, Lina Cadamuro. Choramos juntas de emoção!
Vamos colocar em prática o que ensinamos! Foram exatamente 26 semanas de encontros semanais, praticando o pilates, aquele que ensino e prático há mais de oito anos, de uma forma diferente….com suavidade e força, com mais paixão e vigor, com respeito ao serzinho, e colocando o core para trabalhar mais ainda. E aquele dia em que a barriga pesava, tinha um exercício para aliviar a dor, e aquele dia em que eu estava com pique total, foi o momento de pensar, qual tipo de parto eu queria.
Vamos tentar o parto normal? E assim seguiu até onde meus quadris e pernas e coração pediram para descansar….só em pensamento, por que o pilates na bola foi indispensável no dia do trabalho de parto!
Começaram as contrações ritimadas, Lina, o que eu faço? Descanso? Não: senta na bola e levanta da bola! Caminha, agacha e levanta, contrai e solta! Respira… e dia 8 de setembro de 2015 as 20h21, de parto normal, ganhei meu melhor e maior presente, pequenino Vinicius.
Pilates, como você foi fundamental na minha vida, no momento mais importante dela. Meu primeiro dia das mães ♡ Feliz Dia das Mães!

Mônica Oliveira

Mudanças: Sedentarismo ou Pilates


A vida é feita de ciclos, renovações, novas conquistas e perdas. Todos estão sujeitos a mudanças repentinas ou planejadas. Assim como desafios no emprego, casa, relacionamentos, o corpo também está sujeito a enfrentar novos desafios e a cobrar mudanças significativas. O organismo pode dar sinais sutis, indícios de que algo está errado, ou bruscamente force o corpo a mudança, no caso de alguma lesão por exemplo.

A vida corrida nos leva a hábitos nada saudáveis como má alimentação e estresse. E se junto a esses hábitos já vier do individuo uma resistência a prática de atividades físicas e cuidados com o corpo? Segundo a organização mundial de saúde, o sedentarismo em conjunto com outros fatores é um dos responsáveis pelo aumento das taxas de doenças como AVCs, câncer e ataque cardíaco da população mundial.

Então até quando a resistência na mudança de hábitos e comportamentos irá ditar o rumo de sua vida, bem estar e saúde?

Joshep Pilates, criador do método Pilates, sofria de raquitismo e asma na infância o que o levou a criar seu método baseado em técnicas de respiração e influências na yoga, ginástica olímpica e artes marciais, o que mudou sua condição de saúde por toda a vida. Seu método proporcionou ao mundo moderno conhecer e experimentar uma técnica capaz de revolucionar o modo como nos relacionamos com nosso corpo e mente.

Por que não experimentar algo novo?

O método Pilates Postura Funcional traz toda a técnica criada por Pilates, juntamente com achados científicos atuais, para proporcionar o bem estar de cada indivíduo.

A resistência em mudar, conhecer e experimentar faz com que aquilo que mais precisemos, pareça estar longe e muito difícil de alcançar. Repense sua rotina, quantas dores você sente ao final do dia causada pela postura e carga no trabalho e vida corrida?

Permita-se mudar e perceber o quão benéfica essa mudança será para seu corpo, mente e espírito.

Fabiana Barbosa
Fisioterapeuta

Mulher – Sexo Frágil?


         O dia internacional da mulher é um data bastante célebre na qual se relembra as lutas políticas e as conquista do sexo dito “frágil”. Contudo, esse conceitos já se transformou inúmeras vezes e vemos hoje a mulher com “n” facetas: trabalha, cuida de casa, cuida da família e se aventura em tantas outras atividades que anteriormente eram consideradas exclusivas dos homens.
Dessa forma, vemos que o aumento de atividades proporcionou a mulher que pudesse se lesionar mais. Há alguns aspectos que devemos considerar quando pensamos na reabilitação de lesões em mulheres: deve-se considerar variações anatômicas, tais como quadris mais largos, cotovelos e joelhos com angulações diferentes, e principalmente questões hormonais, uma vez que a regulação dos hormônios sexuais, como por exemplo, o estrógeno e a progesterona estão diretamente ligados ao funcionamento e manutenção dos tecidos presentes no nosso esqueleto, nos tendões e ligamentos. Não é incomum, por exemplo, que mulheres mesmo no início da gestação apresentem queixas de dor lombar decorrentes das alterações da regulação de estrógeno e progesterona, mesmo que sem o incremento de peso corpóreo.
Também, a mulher quando atinge o climatério, no qual há uma importante diminuição da produção de estrógeno, tenha que se atentar ao funcionamento do esqueleto, já que esse hormônio é fundamental para a manutenção de bons níveis de cálcio nos ossos. Eventualmente, deve-se utilizar suplementação deste mineral na dieta e manter-se sempre ativa para também estimular a sua fixação.
Por isso, mulheres, não se sintam desamparadas! Acredito que somos tão fortes e tão capazes quanto qualquer outro! E se temos este corpo, e corpo que é considerado como o mais belo pelo sexo oposto, tratemos de cuidar dele com o cuidado e atenção que ele merece! Feliz dia Internacional da mulher!

Lina Cadamuro
Fisioterapeuta